Especiais

6 opções para investir no futuro do seu filho

Veja como poupar e investir para realizar seu sonho – e do seu filho – sem sofrimento

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

porquinho

Foto: iStock

 

 

 

Anúncio

FECHAR

 

 

 

 

 

 

 

 

Todo mundo quer dar o melhor para os filhos, sempre, mas, para realizar os planos para eles com tranquilidade, guardar dinheiro é essencial. Existem várias formas de fazer isso, uma delas é investimento. E para investir não é preciso ter milhões. É preciso organização e determinação. Aqui mostramos para você algumas boas opções e provamos que falar de finanças nem é tão difícil assim.

Existem vários tipos de investimentos no mercado. Basta saber qual é o mais indicado para sua família. A primeira coisa a ter em mente é: comece já! “Quanto mais cedo, menor o esforço”, diz Mauro Calil, pai de Marcus e Isabela, especialista em investimentos do Banco Ourinvest.

A ideia é fazer o seu dinheiro render. Por isso, atualmente, a poupança não é o mais indicado, porque a rentabilidade é muito baixa. O importante antes de escolher um plano de previdência privada ou qualquer outro tipo de investimento é decidir quanto de dinheiro vai ser investido, qual o prazo do investimento e para que será usado. Para facilitar sua vida, reunimos cinco ideias de presentes que costumam agradar quando nosso filho cresce e sugerimos forma de guardar essa grana começando antes do primeiro aniversário do seu filho – ou mesmo quando ele fizer 10 anos.

Faculdade no Brasil

R$96.000

Se você já quiser começar a guardar dinheiro para a faculdade do seu filho quando ele nascer (um investimento de 17 anos), a dica de Mauro Calil é apostar em fundos imobiliários e renda fixa de bancos menores (os chamados CDB, LC, LCI, LCA). Com um investimento de R$ 306 por mês e uma taxa média líquida e real de 0,4% é possível acumular o valor da faculdade em 17 anos. Parece bastante, mas muito menos que o valor mensal de uma faculdade, que é cerca de R$ 2.000.

Caso você comece a pensar nesse investimento quando a criança tiver 10 anos, o aporte mensal terá que ser maior. A indicação do economista é investir R$ 520 por mês e conseguir uma taxa média líquida e real de 0,68% ao mês. O ideal, de acordo com o especialista, é começar o investimento em fundos imobiliários ou em debêntures. Depois de sete anos, os recursos devem ser transferidos para renda fixa de bancos menores (CDB, LC, LCI, LCA). “O prazo é longo, e os aportes regulares diluem o risco durante os 10 anos. No final do período não se pode mais correr riscos, por isso recomendo transferir para investimentos conservadores”, explica Mauro.

Apartamento

R$ 500.000

Neste caso, o investimento mais adequado são fundos imobiliários (renda variável), de acordo com Calil. “Uma carteira bem comprada e gerida deve gerar 0,85% ao mês, após longos períodos”, justifica.

Outra sugestão, do economista PhD em finanças Samy Dana, pai do Luca e professor da Fundação Getulio Vargas, é acompanhar o mercado imobiliário e, se for possível, comprar o imóvel antes mesmo de seu filho completar a idade em que ele poderia morar sozinho. Ainda assim, não é o cenário atual, já que o mercado pode entrar em crise. De qualquer forma, não deixa de render um aluguel todo mês. Para comprar um apartamento de R$ 500.000 quando seu filho tiver 18 anos, é preciso investir R$ 920 por mês durante 17 anos ou 2.414 por mês, em 10 anos. É importante lembrar que esses valores são simulações e estimativas, que variam de acordo com o cenário de rentabilidade.

Intercâmbio
R$ 30.000 6 meses em Dublin, na Irlanda, incluindo curso de inglês e acomodação em casa de família com meia-pensão 

Levantamento feito pela Experimento Intercâmbio Cultural 

Para ter esse valor quando o seu filho tiver 18 anos, você pode começar a investir quando ele nascer 95,50 mês e conseguir uma taxa média líquida e real de 0,4% ao mês. Já se a sua ideia for começar a investir quando ele tiver 10 anos, vai precisar guardar 257 por mês  com uma taxa média líquida e real de 0,4% ao mês.

“Nesse caso, todo esse investimento pode ser em fundos de debêntures, porque os aportes são pequenos e o tempo é longo. O risco é diminuído porque o intercâmbio poder ser adiado se a quantia não for suficiente à época”, explica Mauro. Além desse tipo de investimento, também é possível juntar dinheiro para o intercâmbio do seu filho com uma “vaquinha” virtual. A própria Experimento Intercâmbio Cultural criou uma plataforma que funciona como uma iniciativa de financiamento coletivo. A plataforma permite que familiares, amigos e conhecidos ajudem depositando via Paypal e PagSeguro. 

Faculdade fora do país

Harvard, considerando o dólar a R$ 3,16

R$ 221.200
Além de todos esses presentões, você pode ainda pensar em bancar uma faculdade no exterior para seu filho. Sonhamos bem alto e cotamos os valores da Harvard, uma das mais conceituadas universidades dos Estados Unidos. Por esse valor, estão incluídos os custos de viagem, acomodação, estudos e livros. Para chegar nessa grana toda, a indicação de Mauro é investir R$ 1.200 por mês e conseguir uma taxa média líquida e real de 0,68% ao mês.

Ele sugere que se comece um investimento em Fundos imobiliários junto com Fundos de debêntures, e, a partir do sétimo ano migrar gradativamente os recursos para renda fixa de bancos menores (CDB, LC, LCI, LCA).

O prazo é longo, e os aportes regulares diluem o risco ao longo do período. No final não se pode mais correr riscos, por isso a transferência para investimentos conservadores.

Neste caso, o economista Samy Dana lembra de pensar no valor do dólar alguns anos antes do seu filho fazer 18 anos.

Automóvel

R$39.990

O sonho de liberdade de quase todo adolescente: um carro pra sair passeando por aí. Se o seu desejo é guardar dinheiro para ajudar seu filho, já comece a pensar em investir R$ 128 por mês em debêntures logo que ele nascer.

Se quiser começar a guardar dinheiro quando ele tiver 10 anos, pense em investir 343 por mês e conseguir uma taxa média líquida e real de 0,4% ao mês. Segundo Mauro Calil, o risco desse tipo de investimento é baixo, porque mesmo que o valor não for suficiente depois do período, o carro poder ser trocado por um usado, outro modelo ou mesmo ser adiado, se a quantia não for suficiente à época.

Para comprar um carro, uma opção também é o consórcio. É o que oferece a Porto Seguro. Diferentemente de outras ofertas de crédito existentes no mercado, em que ocorre a cobrança de juros, no consórcio se paga somente a taxa de administração.

“A taxa, além de fixa, é menor que os juros, o que diminui o preço final. Com encargos baixos, ausência de juros, prazos de pagamentos mais amplos e parcelas acessíveis, o cliente aumenta as chances de adquirir o bem de maneira estudada e planejada, além de reduzir riscos com impulsividade e descontrole financeiro”, explica William Rachid,
Diretor da Porto Seguro Consórcio.

Mais opções

Além das sugestões dos economistas, você também pode pensar em investir por um plano de previdência privada, oferecidos por diversas instituições financeiras. Esses planos são indicados pelos gestores dos bancos, de acordo com o cenário econômico e seu perfil de investimento.

É importante ficar de olho no regulamento dos planos, que devem informar, por exemplo, em quais títulos o banco pode investir seu dinheiro. Para começar, você precisa saber que pode fazer a previdência no seu nome e depois passar o investimento para ele, ou fazer direto no nome dele, que precisa já ter CPF.

A Brasilprev Seguros e Previdência S.A. oferece um plano exclusivo quando a ideia é investir para as crianças. Com o Brasilprev Júnior é possível começar a investir apenas R$ 25 por mês. De acordo com Sandro Bonfim, pai de Lucca e André, superintendente de Produtos da BrasilPrev, é possível escolher em quais fundos seu dinheiro vai ser investido. “O plano é bem flexível. Na contratação, o pai pode conversar com o gestor sobre como acha melhor que seu dinheiro seja investido. Uma ideia é começar com fundos arriscados e passar para os mais conservadores pouco tempo antes do resgate”, explica Sandro. Você ainda pode escolher como esse valor será pago, e se quiser pode aumentar o valor naquele mês que você puder contribuir mais.

Além do Consórcio, a Porto Seguro também oferece planos de previdência privada. Os mais indicados para pais são o Porto Seguro Selecta e o Porto Seguro Macro. A principal diferença entre eles é onde seu dinheiro vai ser investido.

No Porto Seguro Selecta, seu dinheiro é investido em empresas consolidadas, líderes de mercado. Portanto é indicado para investimentos de longo prazo, desejável superior a 12 meses.

Já no Seguro Macro, o dinheiro é investido multimercado que atua em juros, moedas e ações e pode se beneficiar em cenários econômicos diversos. Esse tipo de plano é indicado para investimentos de médio prazo.

Por Isabela Kalil

Leia também:

Cristiano Ronaldo revela o sexo e o nome do seu quarto filho 

Bebê copia as poses do tio modelo no Instagram e faz sucesso na internet

26 fantasias geniais de pais que não deixaram os bebês de fora no Halloween

Pais&Filhos TV