Notícias

“Teste da linguinha” passará a ser obrigatório

O projeto de lei do exame, que checa problemas que podem interferir na amamentação, foi sancionado pela presidente Dilma Rousseff

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

 

O teste da linguinha passará a ser obrigatório daqui a 6 meses em hospitais e maternidades. A lei do exame, que identifica possíveis problemas na língua do bebê antes que ele vá para casa, havia sido aprovado pelo Senado no fim de maio e, agora, foi sancionada pela presidente Dilma Rousseff na última sexta-feira (20).

O exame

Anúncio

FECHAR

O propósito do exame é avaliar a membrana – chamada de frênulo lingual ou, popularmente, de “freio” – que conecta a língua ao assoalho da boca. Quando essa membrana tem variações anatômicas, pode dificultar o movimento da língua e, consequentemente, prejudicar atividades como a amamentação e a fala. Ter esse diagnóstico desde cedo evita que a criança, por exemplo, desmame antes do tempo, tenha dificuldade para engolir e mastigar ou desenvolva língua presa ao começar a falar.

Ainda no hospital ou na maternidade, o especialista, preferencialmente um fonoaudiólogo, observa a língua do bebê chorando e mamando, por exemplo. Se, enquanto chora, a língua ficar em formato de “coração”, pode ser sinal de que há problema. Na hora de mamar, alguns dos critérios de avaliação são a força de sucção, batimentos cardíacos, oxigenação e o esforço do bebê. Se for detectado problema, o bebê é encaminhado para uma cirurgia de correção.

Fonte: Agência Senado (www.senado.gov.br)

Pais&Filhos TV